Aquífero Guarani - Um dos maiores aquíferos do mundo

Aquífero Guarani - Um dos maiores aquíferos do mundo
 

O Aquífero Guarani é um gigantesco reservatório natural de água doce que se estende debaixo da superfície de parte do Brasil, Argentina, Paraguai e Uruguai. O Aquífero Guarani é uma das maiores reservas de água doce conhecidas do planeta Terra. Por seu volume, é o terceiro em importância a nível mundial.
Os países que compartilham o aquífero fizeram um acordo por causa do grupo dos povos indígenas originários da região. O Aquífero Guarani cobre 1.190.000 km², com um volume de aproximadamente 40.000 km³, com uma espessura entre 50 e 800 metros e uma profundidade máxima 1.800 metros.
É estimado que contenham aproximadamente 37.000 km³ de água, com uma taxa de recuperação do recurso ou recarga total de aproximadamente 166 km³ anuais por precipitação. O Aquífero Guarani é descontinuo da região de Ponta Grossa, no Estado do Paraná, aqui no Brasil, de constituição complexa e heterogênea. Um dos mais importantes estudos feito sobre ele. "O redescobrimento do Aquífero Guarani", foi desenvolvido em 2006 pelo geólogo José Luiz Flores Machado, do Serviço Geológico Brasileiro, Flores Machado afirmou, em seu estudo, que, em rigor, não se trata de um só aquífero mais também de um "sistema aquífero".
Este grande aquífero se estende sob a superfície terrestre por uma área aproximada de 1.200.00 km², estando localizado geograficamente nos quatros países membros originais da Mercosul:

 

Aquífero Guarani - Brasil, Argentina, Paraguai, Uruguai

  • No Brasil a Superfície aproximada cobre 840.246 km²
  • Na Argentina a superfície aproximada cobre 225.424 km²
  • No Paraguai a superfície aproximada cobre 72.540 km²
  • No Uruguai a superfície aproximada 58.545 km²

 

Na Argentina são explorados cinco perfurações termais de água doce e uma de água salgada, localizadas no oriente da província de Entre Rios (Termas de Villa Elisa, Termas de Federecion, Termas de San José, Termas de Colón, entre outros), em tanto que em direção ao oeste existe somente um terma de água salgada, com a conseguinte problemática contaminante do efluente salgado.
O Aquífero Guarani está em grande parte debaixo da bacia fluvial do Rio da Plata, formando com essa em grande medida um sistema de retroalimentação de água doce. Em sua parte inferior ou mais meridional do Aquífero Guarani se conecta com o Paraná, e recebe contribuições deste o oeste (desde os Andes) mediante o Aquífero Puelche.
O volume total de água do aquífero é estimado em uns 30.000 km³. Portanto as reservas exploradas são de uns 2.000 km³ por ano. A recarga do aquífero nos lugares em que aflora é de somente seis km³ por ano.
O Aquífero Guarani é uma reserva de água subterrânea que ocupa aproximadamente 1.200.000 km² ao sudeste da América do Sul, sobre um território que em 2010 abriga 23 milhões de habitantes, dos quais mais de 50% abastecem dessa mesma água. Formou-se há 245 a 144 milhões de anos, nos períodos Trifásicos, Jurássico e Cretáceo inferior, quando a América do Sul e a África estavam unidas, em ambientes fluviais e lacustre, na chamada formação de Piramboia ou Tacuarembó. Depois de muitos movimentos e diferentes tipos de solos, essa fusão deixou volumes de rochas muito diferentes, por isso a diferença de espessura. As rochas mais permeáveis começaram a encher de água filtrada desde a superfície,  processo que começou há 20 mil anos e ainda continua. O terreno está formando por um conjunto de arenitos debaixo do nível do terreno entre 50, 800 e inclusive 1500 metros de espessura.


Aquíferos ao redor do mundo
 

A denominação Guarani pertence ao geólogo uruguaio Danilo Anton, já parte de sua área subjacente a região pelo qual chegaram a estender-se os guaranis (entre outros povos indígenas nos quais os guaranis invadiram).
Existe um "Projeto para a Proteção Ambiental e Desenvolvimento Sustentável do Sistema Aquífero Guarani", iniciado pelos quatros países, para conhecê-lo melhor e colocar em andamento um marco técnico legal e constitucional.
Quando é perfurado e chega ao aquífero na água tem pressão de ressurgência e aflora sozinho, com uma temperatura entre os 33 aos 65 graus °C.
Em 2010 o país que mais explorava era o Brasil, abastecendo entre 300 e 500 cidades. Uruguai no mesmo ano tinha 135 poços públicos alguns usados para exploração termal, Paraguai tinha 200 poços para o uso humano e a Argentina tinha cinco perfurações de água doce e somente uma de água salgada.

 

CONSIDERAÇÕES PROVISÓRIAS


É considerado apesar de que se desconhece ainda um limite oeste no território Argentino, a terceira maior reserva mundial de água doce. Na província de Corrientes, por sua parte, se caracteriza pela presença dos Esteros del Iberá, o reservatório da maior água doce localizado sob a superfície da Argentina.
Tais estuários enormes lhe dão a Província de Corrientes sua característica de território em grande medida aquática. Esses estuários tem sido e ainda são motivo de constantes conflitos, devido à instalação de assentamentos em suas voltas, como foi o caso da fazenda do americano Douglas Tompkins; porém, depois da morte desse magnata e lati fundista essa grande extensão de estuários tem sido devolvido em forma de doação para criar um parque nacional. Tem feito importantes tarefas de se apropriar do meio ambiente,
Porém, outros ecologistas, e prova disso é sua paixão por criar parques nacionais na Argentina e Chile. Por sua parte, na Província de Córdoba, se destaca a Laguna do Mar Chiquita, uma das superfícies de água salgada de maior extensão do mundo, no qual também é uma afloração do Aquífero Guarani.
Se bem que o volume total de água do aquífero se estima em uns 37.000 km³, as reservas exploráveis são de 2.000 km³ por ano. A recarga do aquífero nos lugares nos quais aflora é de somente seis km³ por ano.

Postar um comentário

0 Comentários